As tendinites de joelho

As patologias tendão simplesmente não acontecem de repente. O resultado final nós vemos quando alguém está com um problema crônico de tendão que de fato aconteceu a vários meses a anos antes que a dor realmente se apresente. Quando um tendão é submetido a uma carga excessiva, com fase de adaptação não suficiente, as células no interior do tendão começam a mudar. Estas células sobrecarregadas (que são sensívis a carga), em seguida, iniciam um processo de degradação do colagénio e da matriz extracelular (a cola em torno do colagénio) também começam a mudar. Assim, as células do tendão, tornam-se ativadas ‘reactiva’ e estas células começam a produzir terminações nervosas livres que produtoras de dor.

Este estágio “reativo” não é a inflamação propriamente dita, como nenhuma inflamação no tendão dessas células está presente em qualquer fase. A boa notícia é que, na fase inicial, estas células ativadas e reativas não necessariamente ainda mudou a estrutura do colágeno do tendão. Se a carga for removida, as células activadas se recuperam e não haverá nenhum dano no tendão. No entanto, se a carga não for removida, em seguida, as células irão lançar um processo de degradação de colagénio.

Se olhássemos para um tendão microscopicamente nesta fase, veremos que um monte de células do tendão foi “ativado”. Como a carga não foi removida, as células, então, irão começar uma mudança neste tendão. O que veríamos em seguida eram as células produzindo proteínas que, então, irão atrair água para tendão. Nós, então, observaríamos um tendão que começou a inchar. Isso levaria meses para acontecer. A água do tendão, então, irá afetar a estrutura do colagénio deste tendão. O colágeno iria começar a tornar-se desorganizado e ondulado. Em seguida, “bolsas” de quase nada no tendão. Os pesquisadores chamam isso de efeito ‘queijo suíço’. Para estas bolsas, os vasos sanguíneos começariam a crescer. Temos agora uma matriz de tendão desorganizado e em um processo degenerativo.

Se a carga for removida nesta fase, em seguida, as células activadas ficariam quietas. No entanto, a degeneração do tendão permaneceria.

Em primeiro lugar, para recuperarmos o tendão, teremos que “limpar” de sobrecarga, para termos um tendão forte novamente. O foco degenerado provavelmente irá ainda estar presente para isso necessitaríamos reforçar o tendão saudável remanescente. Isto é feito por um processo muito gradual, mas consistente. Será necessário iniciar com exercícios isométricos (mini-agachamento com 1 perna, leg press com 1 perna, por exemplo). Estes exercícios podem ser desconfortáveis, mas, desde que o tendão não reaja nas próximas 24-48 horas, a carga pode ser progredida. Isto será feito diariamente, às vezes, algumas vezes por dia.

A progressão lógica a partir destes exercícios isometrics é em seguida, adicionar lentamente movimentos concêntrico-excêntrico e depois, gradualmente, aumentar a profundidade do movimento. Uma vez feito isso, as repetições e os pesos serão acrescentados. Cada uma destas “progressões” pode durar semanas. Então, avançaremos com a incorporação de movimentos baseados em velocidade, por exemplo, agachamentos e afundo mais rápidos. Então, progredimos para exercícios mais dinâmicos tipo ‘elástico’, tais como saltos e cordas.

Anúncios

~ por Rodolfo Parreira em 25/10/2012.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: